“Desmallarmando”: a irreverência poética de Angélica Freitas

Diana Junkes Bueno Martha

Resumen


Resumo:
O objetivo deste artigo é apresentar algumas reflexões sobre o diálogo com a tradição que Angélica Freitas sistematicamente estabelece em sua obra, em especial, em Rilke Shake (2006/2007). Para tanto, propõe-se uma análise do poema “estatuto do desmallarmento”, na qual procura-se evidenciar o riso e o chiste como mecanismos de leitura e devoração crítica da tradição. Como contraponto, apresenta-se o poema de Augusto de Campos, Tvgrama 1 – Tombeau de Mallarmé, misto de riso e melancolia, como também Provisão poética para dias difíceis de Marcos Siscar.
Palavras-chave: Mallarmé, Angélica Freitas, Augusto de Campos, Riso.
Abstract:
The aim of this paper is to present some considerations on the dialogue with canon that Brazilian contemporary poet Angélica Freitas develops in her work Rilke Shake (2006/07). In order to do so, we propose a reading of the poem “estatuto do desmallarmento in which we pinpoint the laugher and the wit as reading procedures chosen to devour critically the tradition. As counterpoint we present Augusto de Campos poem Tvgrama 1 – Tombeau de Mallarmé, mixture of laugher and melancholy and Provisão poética para dias difíceis by Marcos Siscar.
Keywords: Mallarmé, Angélica Freitas, Augusto de Campos, Laugher.

Texto completo:

PDF

Referencias


Bakhtin, Mikail. “Epos e Romance” (sobre a metodologia do estudo do romance) Questões de literatura e estética: a teoria do romance. São Paulo: Hucitec, 1985. Impreso.

Bíblia Sagrada. Evangelho Segundo São Mateus. Acesso em 11/4/2015.

Camargo, Goiandira F. O. “Subjetividade e experiência na leitura da poesia lírica brasileira contemporânea”. Célia Pedrosa y, Ida Alves. Subjetividades

em devir: estudos de poesia moderna e contemporânea. Rio de Janeiro: Ed.7 letras, 2008. 99-107. Impreso.

Campos, Augusto de. Despoesia. São Paulo: Perspectiva, 1994. Impreso.

----------.TVgrama. Disponível em <: https://www.youtube.com/watch?v=omecBkn9UB0>

Campos, Haroldo de. “Do verso à constelação. Poesia e modernidade. O poema pós- Utópico”. H. Campos. O arco íris branco. Rio de Janeiro: Imago, 1997. Impreso.

Calvino, Italo. Por que ler os clássicos? São Paulo: Companhia das Letras, 2005.Impreso.

----------. Seis propostas para o próximo milênio. São Paulo: Companhia das Letras, 2006. Impreso.

Derrida, Jacques. “Fidelidade a Mais de Um: Merecer Herdar onde a Genealogia Falta.” P. Ottoni. Tradução Manifesta: Double Bind e Acontecimento. São

Paulo/ Campinas: Edusp/ Editora Unicamp, 2005, 167-198. Impreso.

Duchamp, Marcel. L.O.O.Q. Nova Iorque, 1919. Acesso em 12/4/2015.< www.marcelduchamp.net >

Freitas, Angélica. Rilke Shake. Rio de Janeiro: Ed. 7 letras, 2006, Coleção Ás de Colete. Cosac & Naify, 2007. Impreso

---------. Guadalupe. São Paulo: Quadrinhos e cia, 2012. Impreso.

---------. Um útero é do tamanho de um punho. São Paulo: Cosac & Naify, 2013. Impreso.

---------. Revista Modo de usar em co. Acesso em 12/4/2015.

Escute, João Paulo; Toneto, D. J. M. "Um drink de tradição e novidade: considerações sobre Rilke Shake de Angélica Freitas. Signótica 25. 1.

(2013): 51-67. Impreso.

Freud, S. “Recordar, repetir e elaborar: novas recomendações sobre a técnica da Psicanálise” II. Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas

Completas de Sigmund Freud [ESB]. Rio de Janeiro: Imago, 1996, vol. XII, 163-171. Impreso.

--------. “O chiste e sua relação com o inconsciente”. Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud [ESB]. Rio de Janeiro: Imago,

, vol. VIII. 1-73. Impreso.

Junkes Bueno, Martha, Diana. Entre carrapichos e shakes: duas formas de dialogar com a tradição”, publicado em Bonafim, Alexandre; Yokosawa, Solange.

Poesia Brasileira Contemporânea & Tradição. São Paulo: Nankin, 2015.109-128. Impreso.

Margel, Serge. “As denominações órficas da sobrevivência” Nascimento, E; Glenadel, P. Em torno de Jacques Derrida. Rio de Janeiro: CNPq/ 7 Letras, 2000,

-230. Impreso.

Salgueiro, W. C. F.. Forças & formas: aspectos da poesia brasileira contemporânea (dos anos 70 aos 90) . 1. ed. Vitória: Edufes, 2002. v. 1. 270. Impreso.

Siscar, M. A. “Paixão Ingrata”. Nascimento, E. Gelnadel, P. Em Torno de Jacques Derrida. Rio de Janeiro: CNPq/ Ed.7 Letras, 2000. 160-187. Impreso.

---------.” Estrelas Extremas: sobre a poesia de Haroldo de Campos”. M.L.O. Fernandes, et. al. Estrelas Extremas: ensaios sobre poesia e poetas. Araraquara:

Laboratório Editorial da FCL, 2006. Impreso.

----------. O roubo do silêncio. Rio de Janeiro: Ed. 7 letras, 2006. Impreso.

Tomachevski, B. “Sobre o verso”. Todorov, T. (apresentação)Teoria da Literatura: Os Formalistas Russos. Lisboa: Edições, 1989. 70. Impreso.






Indizado en:

Licencia Creative Commons